Seguidores

janeiro 31, 2015

O plural de gel é GELS, GELES ou GÉIS?


O normal é que as palavras terminadas em l façam o plural em is (papel/papéis), mas também há raros casos de palavras que apresentam plurais terminados em les (mal/males) e em ls (mol: mols/moles).
E como se forma o plural de gel: is (como papéis), geles (como males) ou gels (como mols)?

RESPOSTA:
 
O plural de gel pode ser de duas formas: geles ou géis.
 
Sistematizando os plurais de palavras terminadas em l:
l à  is
afável: afáveis; normal: normais; nível: níveis; sol: sóis.
l à  les
mal: males; cônsul: cônsules.
l à  les e ls
mol*: mols/moles.
l à  les e is
mel: meles/méis; cal: cales/cais; fel: feles/féis.
*mol é o símbolo de mole: “unidade de quantidade de matéria do Sistema Internacional, equivalente à quantidade de matéria que contém tantas entidades elementares quantos os átomos que existem em 0,012 kg de carbono 12” (Infopédia)

Abraço a todos!
AP 
Imagem encontrada AQUI.

janeiro 29, 2015

pêras ou peras?

Pera-rocha: uma delícia bem portuguesa!

Há dias, perguntou-me um amigo se, com o Novo Acordo Ortográfico, “pêras” também perdia o acento. Por outro lado, uma viagem pela internet conduziu-me a recantos de fazer crescer água na boca: “pêras” bêbedas, “pêras” com vinho do Porto, “pêras” com chocolate, “pêras” escalfadas em moscatel

E reencontrei as “pêras” num conhecido jornal português:
Portas termina no México "uma missão e pêras"
Missão empresarial portuguesa contratou negócios de valor superior a 3 mil milhões de dólares. Incluindo pêras e maçãs.
Jornal Expresso online, edição de 29/10/2014

Por muito apetitosas que sejam, as “pêras” são uma grafia criativa… Não há acento na palavra nem havia antes aplicação do AO90!
Usava-se acento no singular “pêra” para o distinguir da preposição arcaica “pera”, mas o plural peras nunca teve acento gráfico por não estar em homografia com nenhuma outra palavra.

SISTEMATIZANDO:
PORTUGAL e BRASIL
Escreve-se pera (antes pêra) e peras (já era assim).
 
Nota: Aplica-se o mesmo princípio a peros e paras (verbo parar). Perderam o acento que tinham acento no singular (pêro e pára), mas nunca o tiveram no plural.

Abraço.
AP

janeiro 27, 2015

Qual a origem da palavra POMBO?


Criados na Ásia desde a antiguidade mais remota, existem hoje (como resultado dos cruzamentos feitos pelo homem ao longo dos tempos) mais de 350 espécies de pombos, com grandes variações de cor, forma, tamanho e comportamento.
E de onde vem a palavra POMBO?

A origem está no latim palumbu-, com o sentido de «pombo bravo».
Nota:
Na evolução da palavra, encontramos a forma poombo no século XIV.
Curiosidade:
Embora a palavra tenha a mesma origem nas línguas latinas, o caso do francês é particularmente interessante. Até ao século XIII, usava-se palavra coulom (ou colomb) para dizer pombo. No entanto, a partir dessa data, passou a usar-se a palavra que ainda hoje hoje se usa: pigeon (do latim pipio), que significava, até ao século XIII, pombo jovem, ainda implume (borracho).
Existe também, no francês atual, a grafia colombe, designação de uma espécie de pombo de penas brancas, símbolo da paz. É também o nome poético da ave.
Quanto ao inglês pigeon, foi importado do francês no século XIV.

Abraço cheio de paz e amor para todos!
AP

Fontes:
.Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa (JP Machado)
.http://pt.wikipedia.org/wiki/Columba_livia
.http://www.geneanet.org/genealogie/fr/pigeon.html
.www.infopedia.pt
.http://dictionary.reference.com

janeiro 21, 2015

Como escrever: "pasteis" ou "pastéis"?


No sábado passado, como me desloquei a Mafra para participar num seminário sobre o Novo Acordo Ortográfico, aproveitei para matar saudades da excelente doçaria. Entrar na pastelaria “Polo Norte” é um ato quase obrigatório tais são as tentações que ali encontramos: além do pão cheiroso, as especialidades doces como a típica “parra” e as ainda disponíveis delícias natalícias (bolo-rei, sonhos e filhós). Os “pasteis” chamaram a minha atenção tanto pelo aspeto irresistível que apresentavam como pela grafia que os designava: “pasteis”. É mesmo assim que se escreve?

RESPOSTA:
A grafia correta é pastéis!
A Base VIII, ponto 1. c), do Novo Acordo Ortográfico mantém a regra de 1943 (Brasil) e 1945 (Portugal):
Acentuam-se com acento agudo as palavras agudas (oxítonas) como os abertos -éi, -éu ou -ói, seguidos ou não de –s: anéis, papéis; céu(s), chapéu(s); herói(s).

Abraço.
AP
P.s.: Mafra é uma linda vila portuguesa situada a cerca de 30 km de Lisboa.

janeiro 20, 2015

Cartoon, cartune, cartum OU charge?


Agora que, pelas piores razões, tanto se fala de cartunes e de liberdade de expressão, trago-vos uma questão linguística. Sistematizadas as grafias, encontramos diferenças interessantes entre Portugal e Brasil. Embora o Ciberdúvidas defenda (de forma veemente) o uso dos termos adaptados, incluí nas grafias corretas os estrangeirismos registados nos dicionários e vocabulários oficiais de Portugal e Brasil.

CONCLUSÕES:
PORTUGAL
BRASIL
cartune (cartunes), cartoon(s)
 e charge(s)*
cartum (cartuns), cartoon(s)
 e charge(s)*
 
cartunista e cartoonista, grafia condenada pelo Ciberdúvidas: “no português, as palavras derivadas de empréstimos que são substantivos comuns não conservam as grafias características das línguas de origem”.
cartunista e cartonista
Fontes:
.Infopédia e Priberam
.Portal da Língua Portuguesa
Fontes:
.Aurélio, Aulete e Michaelis
.Academia Brasileira de Letras
* Estrangeirismos, pelo que se devem escrever em itálico ou entre aspas.

Abraço.
AP
Imagem encontrada AQUI.

janeiro 17, 2015

Qual o plural de bolo-rei: BOLOS-REIS ou BOLOS-REI?


Agora que passou a época desta delícia natalícia (que muito aprecio!), centremo-nos numa questão linguística que lhe está associada: o plural de bolo-rei é bolos-reis ou bolos-rei?
Há uma regra da formação do plural que nos permite saber a resposta...

RESPOSTA:
O plural correto é bolos-reis!
REGRA: Nas palavras compostas por dois nomes (substantivos), ambos vão para o plural: bolo e rei.

Abraços!
AP

janeiro 16, 2015

Qual a origem da palavra CARAMBOLA?


CARAMBOLA é o nome de um fruto tropical rico em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e vitaminas (A, C e do complexo B) que, por conter ácido oxálico, não deve ser consumido por pessoas que sofrem de insuficiência renal.
 
Qual a origem desta curiosa e sonora designação?

RESPOSTA:
CARAMBOLA vem do concani karambal (derivação do sânscrito karmaranga, «fruto da caramboleira»)
Nota: O concani é a língua falada em Concão, antigo território indiano na costa do Malabar, onde se situa Goa. (Fonte: www.infopedia.pt)

Abraço e bom fim de semana!
AP

janeiro 15, 2015

Qual a origem da palavra "merda"?


Como sabemos, a palavra “merda” é usada no teatro, antes das representações, para desejar boa sorte. Segundo a crença popular, pisá-la dá sorte e dinheiro...
E de onde vem este vulgarismo da nossa língua? A resposta mostra-nos que há coisas que não mudam na história da humanidade…

CONCLUSÃO:
A palavra “merda” vem do latim… merda (com o sentido que tem hoje).

Nota complementar:
O uso da palavra “merda” no teatro surgiu em França. Um ator que iria apresentar a peça mais importante de sua vida estava nervosíssimo, pois na plateia estariam os mais importantes críticos da cidade. No percurso de sua casa ao teatro deparou-se com um incêndio e teve de se desviar do caminho, perdendo-se. Reencontrou o caminho e à entrada do teatro pisou cocó. Entrou, atuou e saiu muito feliz com a melhor representação da sua vida.
Assim, a expressão “merda” tem o mesmo significado de boa sorte e é sempre usada antes das representações. Nunca se deve agradecer com obrigado quando alguém deseja “merda”. Deve-se apenas responder “merda” ou ficar calado.

Abraço e muita m… pra todos!
AP
Imagem encontrada AQUI.

janeiro 11, 2015

O que distingue Angola de... angola?


Todos conhecemos o topónimo Angola, escrito com maiúscula, para designar o país lusófono da costa ocidental de África.
Sabia que também existe angola, com minúscula, nome (substantivo) comum e adjetivo?
 
Repare:
Angola
Nome do país africano.
Nome* próprio
angola
O mesmo que angolano.
Adjetivo
Indivíduo pertencente aos angolas, povo indígena que deu o seu nome ao território de Angola.
Nome comum
*No Brasil diz-se substantivo.

A primeira vez que ouvi usar angola sem ser como topónimo foi em S. Tomé e Príncipe, há uns meses. O guia referiu-se aos descendentes de escravos angolanos como os “angolas”. Naquele momento, achei estranho e de correção duvidosa. Afinal, o ignorante era eu...
 
Abraço.
AP
Imagem encontrada AQUI.

Qual a origem da palavra GARNISÉ?

O meu garnisé com a sua favorita...

A designação garnisé (por vezes escrito erradamente “garnizé”) refere-se a algumas raças de galinhas mais pequenas do que a galinha comum.
Em Portugal e Brasil, esta ave recebe uma grande variedade de nomes: cocó,  galinha-da-índia, galiré (norte do Brasil), galisé
Há ainda designações não registadas nos dicionários como coquinha e coquita (Portugal) e galinha-da-costa e galinha-do-reino (Brasil, no interior da Bahia).

Muito interessante é a origem da palavra:
Garnisé vem do topónimo Guernesey, ilha do canal da Mancha.
Nota: Os primeiros exemplares da simpática ave chegaram-nos desta pequena ilha da Grã-Bretanha.

Abraço e bom resto de domingo!
AP

janeiro 08, 2015

ENFIM ou EM FIM?


Não é raro surgirem dúvidas no momento de escolher: enfim ou em fim?
Para complicar, ambas as grafias estão corretas, mas os sentidos são diferentes. Analisemos as duas hipóteses, estabelecendo diferenças e dando dicas.
ENFIM
Advérbio de tempo
Enfim sós!
DICA: ENFIM = FINALMENTE
EM FIM
Locução adverbial de tempo
Preposição + Nome (subst.)
Veículo em fim de vida.
DICA: EM FIM = NO FIM/NO FINAL

Em fim de artigo, resta-me deixar um abraço e ir dar de comer às minhas três cadelas (Ginja, Pipoca e Lola). Se pudessem falar, diriam: “Até que enfim, dono!”
AP
Imagem encontrada AQUI.

janeiro 07, 2015

O til é um acento?


Para a gramática, um acento gráfico é um sinal com que se indica a pronúncia de uma vogal ou a sílaba tónica. Embora haja palavras em que há acento tónico sem acento gráfico (rapidamente, Brasil, batata, etc.), quando há acento gráfico, ele coincide com a sílaba tónica (jaca, côncavo, sica, maracu, etc.).

Sendo verdade que em palavras como cão, perdão, rã e manhã o til coincide com a sílaba tónica e parece ser um acento gráfico, nem sempre o que parece é... 
A ilusão desfaz-se quando analisamos grafias como órfã, Esvão, órgão e acórdão. O til passa para segundo plano e deixa de assinalar a sílaba tónica. A sua única função é dar-nos a informação de que ão e ã são sons nasais.

CONCLUSÃO:
O til é um sinal gráfico de nasalação e não um acento.
Nota: Por o til não ser um acento é que se diz (e bem!) que não há na língua portuguesa nenhuma palavra com dois acentos.

Abraço.
AP

Imagem encontrada AQUI.

janeiro 05, 2015

hesitar ou exitar?


Hesitar ou exitar? No momento de escrever, muitos são os que hesitam e frequentemente erram na escolha que fazem.
Como em muitas outras situações, os dois lados do Atlântico não afinam pelo mesmo diapasão. Enquanto no lado de cá apenas umas das grafias está correta, no Brasil, ambas estão certas, mas com sentidos diferentes.

CONCLUSÕES:
HESITAR
Do latim haesitāre.
Estar indeciso, mostrar dúvida.
PORTUGAL  e BRASIL
EXITAR
De êxito+-ar
Ter êxito, ter sucesso.
 
Apenas no BRASIL
Fonte: Infopédia.

Sem hesitar e esperando que os amigos brasileiros exitem em 2015,
AP
Imagem encontrada AQUI.

janeiro 02, 2015

-ÃO ou -AM?

São inúmeros os blogues que abordam a questão de hoje. E se abundam as explicações das diferenças e a enunciação de regras, raramente elas são rigorosas.
1. Para uns, ÃO corresponde a uma ação que ainda vai ocorrer e AM a uma ação concluída. O problema é que temos verbos no presente que terminam em ÃO (vão, são, dão) e muitos outros em AM (lavam, dançam, esfregam, etc.).
2. Para outros, usa-se ÃO em palavras oxítonas (aguda) e AM em palavras paroxítonas. Seria uma regra perfeita, se não existissem palavras como órgão, órfão e Cristóvão.

Afinal, há ou não uma regra sólida que permita ao falante saber que terminação usar em cada caso?
 
Encontrei no blogue brasileiro “Recanto das Letras” (AQUI) uma forma eficaz de distinguir estas duas terminações. Aqui a partilho:
Usa-se a terminação –AM
se a palavra:
Usa-se a terminação –ÃO
se a palavra:
For paroxítona (grave) e verbo (independentemente da acção se situar no passado, presente ou futuro): Eles rezam. / Eles dançaram. / Elas casaram.
1. For oxítona (aguda) e verbo: vão, são, dão.
2. For um nome (substantivo): Estêvão, órgão, coração, balão, alçapão.

Abraço.
AP
Imagem encontrada AQUI.